TÉCNICO EM MECÂNICA NOS CONTA COMO DESENVOLVEU PROJETOS INOVADORES E DE SUCESSO PARA SUA ÁREA

0
249

Nicassio Santos, inventor na área de mecânica, conta sobre seus projetos criativos e de sucesso, bem como sobre como entrou no mundo das invenções

Nicássio Santos é técnico em mecânica, filiado à Associação Nacional dos Invenotres e, além disso, um brilhante inventor de mente criativa que busca soluções inovadoras e lucrativas para questões relacionadas à sua área.

Nicássio já possui dois livros publicados e inventos patenteados junto ao INPI os quais possuem versões já prontas. Dois deles se destacam, o Compressor de Membranas de Dois Estágios  e a Unidade de Prensagem, projetos que você pode checar aqui no blog e no Facebook para saber mais!

O inventor já foi premiado com melhor invento na feira de Taiwan, como também terá uma matéria sobre um invento publicado na Revista Plástico, e agora, em uma entrevista, nos conta mais sobre como entrou no mundo das invenções e da tecnologia mecânica. Confira a baixo:

Conte um pouco sobre você e como foi sua trajetória com invenções

Eu, Nicassio Santos, Sou um técnico mecânico que atua desde 2002 na área da indústria, e foi numa fase de desemprego entre 2003 e 2005 que comecei a desenvolver esses equipamentos.

Na época era apenas uma forma de auto treinamento, considerando o fato de que a leitura vai saturando a pessoa com o tempo. Depois, eu guardei os desenhos que achei mais interessante para, um dia, talvez, trazer à tona.

Essas são coisas que imaginei há mais de dez anos.

Como começou na área mecânica e de tecnologia?

Pela afinidade que eu tinha com os antigos projetos das aulas de física no segundo grau, somado as algumas leituras de revistas técnicas das quais às vezes tive acesso. Em 2001, entrei na escola técnica para aproveitar melhor isso.

O serviço industrial é muito interessante, eu comecei a carreira trabalhando numa multinacional alemã; atuando na manutenção de fornos elétricos para fundição de aço.

O que levou você a desenvolver a unidade de prensagem e o compressor de membranas?

Essa é a parte mais interessante, esses dois equipamentos são decorrentes de dois serviços que aconteceram; que mais tarde as respostas aos problemas técnicos foram traduzidas nesses dois equipamentos.

A Unidade de prensagem foi derivada de uma reforma que executei numa prensa de 100 toneladas, um equipamento já antigo na época e bastante robusto. Tinha seus componentes espalhados, o que gerava muita manutenção e vazamentos; afinal, em hidráulica, quanto mais conexões tiver, mais lugares propensos a vazamentos irão surgir.

Daí a solução imaginada foi colocar todos esses componentes dentro do cilindro atuador, fato que é favorecido pelo fato de uma prensa de grande capacidade requerer um cilindro de grande diâmetro; assim consegui encaixar a bomba de óleo, a válvula de segurança e o próprio reservatório dentro do cilindro. Isso foi muito interessante no sentido de prover mais limpeza e segurança no equipamento.

As intervenções para manutenção acabaram por ser simplificadas, pois você não precisaria fazer drenagem no local, enxugar derramamentos de óleo e isolar a área para mexer na unidade; nesse caso precisa-se somente remover a unidade e leva-la à oficina.

O compressor já foi mais laborioso. Esse equipamento surgiu de outro projeto que tive de uma projetora de argamassa quando estive desempregado – atuei também na construção civil. Então idealizei uma projetora que fosse compacta o bastante para ser transportada nas costas como uma mochila, aí começou uma questão: Como produzir um fluxo de ar com volume e pressão suficientes com um equipamento pequeno? O compressor deveria ser do tamanho de uma latinha de refrigerante para caber dentro da projetora de argamassa.

Pensei em vários modelos, nenhum atendia o que eu precisava, uns forneciam muita pressão e pouca vazão e vice-versa. Foi difícil, até que cheguei em dois modelos:

– Um peristáltico (Como as bombas de hemodiálise)

– Um de membranas (Os de modelo industrial, fornecem pressão muito alta)

Então, surgiu o meu modelo que foi a fusão dos dois modelos acima; cada qual se enquadrou em um estágio do atual equipamento, assim eu consegui promover uma vazão e pressão considerável. Por essa questão esse dispositivo teve um registro a parte.

Esses dois projetos estão completos nos requisitos técnicos e autorais, contando com:

– Desenho em 3D no CAD

– Animação em vídeo 3D (Tratado por uma Empresa de Engenharia)

– Comissionamento (Tratado por uma Empresa de Engenharia)

– Maquetes físicas construídas por impressão 3D

– Registro PCT em 140 países (Tratado pela ANI)

 

Veja abaixo o vídeo em nosso canal sobre os projetos de Nicassio e saiba o porquê acreditar na criatividade e novas ideias pode se tornar um negócio altamente lucrativo:

DEIXE SEU COMENTÁRIO