Óleos de Plantas Aromáticas

0
207

A Beraca/Brasmazon – Industria de Oleaginosas e Produtos da Amazônia (PA) é uma empresa do segmento de óleos e gorduras vegetais e animais, que fabrica de óleos fixos e essenciais para uso na indústria de fragrâncias, cosmética e fitoterápica. Os óleos mais utilizados são os da copaíba, andiroba, cupuaçu, maracujá, murumuru, castanha do Brasil, buriti, urucum, açaí, espécies aromáticas e argilas nativas. Há nove anos no mercado, a empresa faturou R$ 583 mil em 2001, contra R$ 1,9 milhão no ano passado. Desses, 17% foram destinados a P&D. Com 26 empregados, sete deles alocados em pesquisa e desenvolvimento, a Beraca/ Brasmazon lançou 20 novos produtos nos últimos três anos. Preocupada com a preservação ambiental, a empresa foi buscar na Alemanha o melhor programa mundial de avaliação de padrões florestais, com critérios e princípios estabelecidos de forma independente por autoridades de diferentes partes do mundo. O FSC (Forest Stewardship Council – Conselho de Manejo Florestal) através do Imaflora (Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola), seu representante oficial no Brasil, realiza a certificação de seus produtos. A Beraca/Brasmazon mantém, ainda, parcerias com a Universidade Federal do Pará, o Museu Paraense Emilio Goeldi, o Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia e a Universidade de São Paulo. A Beraca Ingredientes, empresa brasileira atuante no mercado de produtos químicos desde 1956, é atualmente o maior fabricante e distribuidor de ativos vegetais naturais e especialidades brasileiras para a indústria cosmética, farmacêutica, de fragrâncias e nutracêutica do mundo. Através da sua Divisão Health & Personal Care produz em fábricas certificadas pelo Forest Stewarship Council – FSC a linha de ingredientes RAIN FOREST SPECIALTIES®, constituída por óleos da biodiversidade brasileira e outros ingredientes naturais. Todo esse trabalho envolve projetos sociais e de desenvolvimento sustentável, feitos em conjunto com moradores de comunidades ribeirinhas locais das florestas brasileiras, onde são coletados os insumos utilizados pela Beraca.

 

As aromáticas amazônicas apresentam variações significativas de rendimento No entanto, alcançamos com êxito a produção em escala industrial pelo método adaptativo de extração de arraste a vapor para as espécies Melampodium camphoratum (L.F.) Baker, Ocimum micranthum, Ocimum gratissimum, Ocimum minimum, Ocimum basilicum, Hyptis crenata. A indústria dos aromas já existe no mundo há 3000 anos A.C. através dos povos estabelecidos no vale do Nilo, no Egito, que utilizavam aromas na consagração e adoração dos deuses antigos. A Amazônia, definida por Euclides da Cunha como “o maior espetáculo já montado pela natureza aonde o homem chegou cedo de mais“ é um novo “vale do Nilo” , de onde podemos retirar uma infinidade de novos aromas o que poderá em um curto espaço de tempo trazer benefícios que trarão, melhorias às condições de vida dos povos da floresta. Hoje o que simplesmente era consumido pelo fogo começa a ter uma nova utilidade. As ervas só colhidas nas festas juninas para as formulações caseiras dos banhos de cheiro, começam a alcançar um mercado e passa a ser o charme das empresas nacionais de perfumaria e cosmético. As comunidades que estão sendo procuradas, vêm nas aromáticas uma oportunidade e melhoria na vida daqueles que secularmente habitam a Amazônia.

O momento é oportuno para o desenvolvimento de novos produtos e subprodutos da floresta tropical, pois, o público consumidor internacional está consciente da importância da Amazônia e valoriza bastante os produtos oriundos da prática do manejo florestal. Além do óleo extraído da matéria-prima coletada, outras espécies aromáticas poderão ser cultivadas, gerando mais renda. O cultivo de espécies florestais aromáticas, é uma prática ambiental que garante o retorno financeiro a curto prazo e, por ser um produto derivado da economia sustentável, pode alcançar preços mais elevados ainda.

A Brasmazon foi criada em 1995 através da associação de professores da Universidade Federal do Pará, que motivados pela perspectiva da atividade empresarial de produtos naturais investiram seus conhecimentos numa empresa-incubadora da própria universidade, que dali saiu para suas instalações próprias, tornando-se desta maneira um case de sucesso no Estado do Pará e porque não no Brasil na área de produção de óleos, a partir de ativos extraídos de espécies amazônicas. Após 8 anos de sua criação, a empresa foi adquirida recentemente pelo grupo Beraca-Sabará, Essa incorporação trouxe melhorias à Brasmazon, entre os quais o estímulo ao seu quadro de pesquisadores na busca por um novo mercado, o de óleos essenciais de ervas aromáticas, bastante cobiçado pelo mercado nacional e internacional. O Know-how comercial e técnico, a imagem confiável da empresa bem como o conhecimento do mercado de Personal Care, agregou um valor inatingível à essa incorporação, viabilizando a comercialização dos produtos antes utilizados apenas para fins de pesquisa, sem valor comercial.

A ilha do Marajó, um patrimônio da união, dá o sustento de vida de seus moradores (caboclos, pescadores, ribeirinhos e quilombolas) com sua fauna e atividades agropecuárias. Aquele que não depende diretamente da criação do búfalo vive da catação do caranguejo, do siri, do coco, do abacaxi e da pesca. A Beraca-Brasmazon vem mudando este cenário, através da compra de sementes de andiroba na entressafra do pescado, coletados nas praias após as enchentes (período das grandes chuvas), fazendo com que as andirobeiras ocorrentes nas áreas de mangue e terra-firme tivessem influência no orçamento de cada família de pescadores. A comunidade essencialmente extrativista, adotou a semente de andiroba como alternativa econômica financeira quando ha falta do pescado (Dezembro-Maio), exercendo uma atividade sócio ambiental, com a consciência de que os frutos colhidos são gerados a partir da conservação de mangues e várzeas, e que o volume de frutos comercializados podem aumentar a partir de um manejo adequado de suas áreas de capoeiras e mangues. Os municípios de Salvaterra, Soure e Cachoeira do Arari no Estado do Pará, localizados na ilha do Marajó, só no ano de 2004 forneceram cerca de 150 toneladas de sementes, porém, a nossa uma meta é chegar em 500 toneladas de sementes ano, além de incentivar o manejo em áreas de mangue e plantio em áreas de capoeira, incentivando desta forma um reflorestamento em parceria com instituições de governo.

A oferta de óleos fixos há dez anos atrás, era algo esporádico, sendo que o que havia no mercado era produto com alto teor de acidez, muitos produtos misturados entre os quais querosene, fibras, óleos diesel entre outros, o que não possibilitava regularidade no fornecimento e a confiança das empresas da indústria de cosméticos. A Beraca-Brasmazon após o trabalho de conscientização levado e o incentivo a compra de sementes às comunidades da Ilha de Marajó-PA, não só conseguiram o melhor produto do mercado, como também estabeleceu confiança a essas pessoas que hoje conhecem bem o seu recurso natural. Após esta experiência da Beraca-Brasmazon é que outras empresas passaram a interessar-se na busca nas comunidades de fonte de matéria-prima, que até então era algo considerado impossível do ponto de vista comercial. A experiência ambiental levada a efeito, necessitou de inúmeros ensaios laboratoriais com relação a época de colheita, tamanho do fruto, teor de umidade, acidez entre outros, para que pudéssemos chegar ao padrão ideal, com descarte somente na chegada do produto na fábrica, evitando assim, desperdício na coleta executada no campo. Em parceria com a comunidade passamos a pesquisar alternativas dos recursos naturais existentes na Ilha de Marajó, entre os quais as espécies aromáticas. O mundo dos cosméticos e perfumaria vive em função de novidades o que representa uma boa oportunidade. Os habitantes da Ilha de Marajó-PA tem uma riqueza de espécies aromáticas, porém, para apresentá-los ao mercado desenvolvemos estudos preliminares com cerca de 8 espécies originárias da Ilha, as referidas espécies já foram apresentadas a grandes empresas do ramo, já incorporaram em suas linhas de produto, sendo pouco a pouco apresentado ao mercado. Outras comunidades em outras localidades próximas à Belém, estão desenvolvendo espécies aromáticas para extração de óleos essenciais que já estão sendo comercializados no mercado.

 

Fonte:

http://www.finep.gov.br/premio/folhas_inovacao_premio_2004/norte_tela.pdf

http://www.brasmazon.com.br/

acesso em julho de 2005

DEIXE SEU COMENTÁRIO