Jaborandi

0
231

Pilocarpina é um alcalóide extraído das folhas da planta jaborandi (Pilocarpus pennatifolius), uma espécie vegetal disponível somente no Brasil. O jaborandi é conhecido há vários séculos pelos índios tupi-guarani que a chamavam de yaborã-di (planta que faz babar) e indicada sempre que se queira aumentar a produção de suor (gripe, edemas ou hidropisia). Esta planta é um arbusto do gênero Pilocarpus, de ocorrência natural em algumas regiões do norte/nordeste do Brasil, especificamente entre o Maranhão e o Piauí, que tem folhas claras podendo chegar até dois metros de altura. Suas folhas estão repletas de pequenas bolsas secretoras que quando esfregadas soltam um cheiro semelhante ao da laranja.


Willem Piso, médico e naturalista holandês, veio para o Brasil por ocasião da ocupação holandesa, chegando no início de 1637 e retirando-se em 1644. Dedicou-se ao estudo das doenças do Brasil Holandês. Escreveu a obra Historia naturalis Brasiliae, com a colaboração do naturalista alemão Georg Marggraf. Piso deixou em suas obras observações detalhadas sobre as enfermidades brasileiras, as propriedades terapêuticas das plantas e o efeito do veneno dos animais. Esta obra serviu de fonte para a inclusão das espécies da fauna e da flora brasileiras no Systema Naturae de Carl von Linné. Piso e Macgrave, o médico holandês e seu assistente alemão, analisaram cientificamente o uso de plantas e a nosologia indígena. Piso introduz na farmacologia europeia o jaborandi (analgésico). O ensinamento de Piso e Macgrave obteve reconhecimento na América portuguesa como prova as referências feitas as suas obras poucos anos mais tarde pelo padre Simão de Vasconcelos. Contudo a generalidade dos médicos europeus assumia postura hostil à terapia indígena ou afro-brasileira

A pilocarpina pertence a um pequeno grupo de alcalóides, contendo amidazol em sua estrutura. Diferentes sais são produzidos com pilocarpina, tais como: sulfato, cloridato e nitrato. A pilocarpina é usada na formulação de gotas oculares para o tratamento do glaucoma, reduzindo a pressão intraocular e também em exames clínicos.

O glaucoma é uma doença comum definida pela lenta e progressiva perda de visão, sendo a segunda causa de cegueira nos EUA, perdendo apenas para a diabetes. Embora o glaucoma não tenha cura, a prevenção da progressiva perda da visão é conseguida reduzindo-se a pressão intraocular. O aumento da pressão intraocular pode ser o resultado do aumento da produção de humor vítreo ou redução da drenagem deste mesmo humor vítreo. O humor vítreo é um corpo gelatinoso, composto de 99% de água, transparente e avascular, que perfaz dois terços do volume e do peso do olho. A pilocarpina atua facilitando a eliminação de humor vítreo. Embora efeitos colaterais sistêmicos sejam raros, a alta incidência de efeitos colaterais no próprio olho, aliados ao inconveniente de exigir dosagens de quatro vezes por dia, tornam a pilocarpina menos popular do que outras medicações.

No Brasil, as atividades da empresa SourceTech estão direcionadas à produção e comercialização de princípios ativos vegetais de aplicação farmacêutica e alimentícia. Nos setores laboratorial e experimental a empresa desenvolveu tecnologias para extração e produção de diversos fitoterápicos e insumos, sendo a Soucertech a única produtora mundial do alcalóide denominado PILOCARPINA. Os principais clientes são os laboratórios farmacêuticos e as indústrias alimentícias com centros de desenvolvimento e pesquisa sediados na Europa e Estados Unidos. A SourceTech participou do 3º Venture Forum (SP) realizado em 18 e 19 de abril de 2001.

O Jaborandi parece ter destino semelhante ao da Espinheira Santa. É encontrado em uma região de solo e clima bem característicos, entre o Pará e o Maranhão. Seu princípio ativo já é largamente usado pela indústria de medicamentos no tratamento do glaucoma. Era utilizado no passado para aguçar o faro de cães de caça. Também indicado no tratamento de doenças do aparelho respiratório. Vários xampus trazem o Jaborandi em sua fórmula, tido como um poderoso aliado na luta contra a queda de cabelo. Há anos, a planta vem sendo extraída em grandes quantidades para uso de laboratórios estrangeiros. Não existem planos para reposição dos exemplares retirados da região. As poucas áreas de cultivo regular são controladas por laboratórios estrangeiros. Uma espécie ameaçada é o jaborandi (Pilocarpus jaborandi), muito utilizado em formulações cosméticas. Esta planta faz parte da Lista Oficial de Espécies da Flora Brasileira Ameaçadas de Extinção, publicada em 1992 pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis.

Estimula o crescimento e renovação celular na pele e cabelos, utilizado na prevenção e tratamento da queda de cabelos de diversas causas. Contém alcalóides, especialmente a pilocarpina e óleos essenciais. Desta planta é extraído o cloridrato de pilocarpina, vasodilatador tópico, com aplicações médicas nas áreas de dermatologia, angiologia e oftalmologia.

 

Fonte: http://www.pvp.com.br/pvpport/pharmaceutical/pilocarpine_hydrochloride.htm

http://www.sourcetech.com.br/produtos.htm

htpp://www.radiobras.gov.br/abrn/c&t/1997/c&t_1001.htm

http://www.comciencia.br/reportagens/framereport.htm

http://www.estado.estadao.com.br/edicao/especial/plantas/jui6.html

http://www.biobella.com.br/Principios_Ativos/Jaborandi.htm

http://galileu.globo.com/piso_arquivos/seculoxvii.htm

Trato dos Viventes, Luiz Felipe de Alencastro pag 134

 

acesso em janeiro de 2002

DEIXE SEU COMENTÁRIO