Instrumento de Micromanipulação

0
214

 

Nasceram Iracema, Cecy e Poty, os primeiros caprinos gerados no Brasil com a técnica da bipartição de embriões. Os partos foram normais e os animais são saudáveis. Eles nasceram na Embrapa Caprinos, no município de Sobral, a 222 quilômetros ao norte de Fortaleza. Iracema e Cecy, que são gêmeas idênticas da raça Anglo-nubiana, pesaram dois quilos ao nascer, e Poty, que é da raça Boer, pesou três quilos. A implantação dos embriões em matrizes Sem Raça Definida, SRD, foi feita em abril deste ano, num trabalho coordenado pela pesquisadora Hévila Oliveira Salles, com o apoio de uma equipe de mais três técnicos. Foram 9 embriões, divididos em dois. Cada matriz recebeu 2 embriões. Das 9 matrizes, duas foram até o fim, dando origem às três crias.


Essa experiência de bipartição de embriões com a espécie caprina é pioneira no Brasil, permitindo a redução dos custos por prenhez e aumentando o número de crias. Segundo Hévila Oliveira Salles, a técnica, que consiste em dividir ao meio um embrião, dando origem então a dois embriões, possibilita a obtenção de taxas de prenhez em torno de 100 por cento. Ou seja: para cada 100 embriões recuperados/bipartidos, há uma possibilidade de produção de cerca de 100 animais. A técnica, já utilizada com sucesso em bovinos, ainda não vinha sendo desenvolvida com outras espécies devido ao alto custo dos equipamentos. Mas a partir de experiências dos pesquisadores Assis Roberto De Bem, da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia; e Gabor Vajta, da Austrália; surgiu o uso de lâmina de barbear acoplada a um instrumento de micromanipulação, para o corte dos embriões, o que facilitou o avanço nas pesquisas. Essa técnica possibilita a micromanipulação de embriões em nível de propriedade.

Por meio da biologia molecular a Embrapa consegue definir o sexo do gado bovino. O criador pode optar por vacas, se deseja um rebanho leiteiro, ou por bois, se a intenção for criar animais para o abate. A pesquisa coordenada pelo prof. Roberto de Bem não prejudica a membrana que recobre os embriões e os protege da contaminação por organismos patogênicos, além de não afetar o desenvolvimento sadio dos animais. Com a técnica de bipartição consegue-se fazer o controle do nascimento de gêmeos.

 

Fonte:

Patentes: Onde o Brasil perde, Sindicato da indústria de Artefatos de papel, Papelão e Cortiça no Estado de São Paulo, dez/93, pg 8

http://www.capritec.com.br/NOV129.HTM

 

acesso em abril de 2002

Cronologia do Desenvolvimento Científico e Tecnológico Brasileiro, 1950-200, MDIC, Brasília, 2002, páginas 350

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO